A cirurgia íntima tem se tornado cada vez mais comum entre as mulheres e são inúmeros os motivos para realizá-la. Seja para melhorar a estética, elevar a autoestima, aumento do prazer e diminuir a dor durante as relações sexuais esse tipo de procedimento é cada vez mais buscado nos consultórios dos cirurgiões plásticos!

Mas a cirurgia íntima não é sempre a mesma. Isso porque, dependendo do seu objetivo, um tipo diferente de cirurgia íntima poderá ser recomendado. É importante que você converse com seu ginecologista e então procure um cirurgião de confiança, que poderá indicar o melhor procedimento para o resultado que você espera.

Nesse artigo, vamos te apresentar alguns dos tipos mais comuns de cirurgia íntima. Confira!

Quais sãos os tipos de cirurgia íntima?

Ninfoplastia

Esse tipo de procedimento é um dos mais comuns e o mais associado ao termo cirurgia íntima.  A Ninfoplastia tem por objetivo reduzir os pequenos lábios vaginais, retirando o excesso de pele.

Esse procedimento é indicado para mulheres que sofrem com flacidez ou problemas de má formação na região.

 

Clitoriplastia

Nessa cirurgia é retirado o excesso de pele ao redor do clitóris, deixando-o mais exposto e podendo aumentar a intensidade durante o orgasmo.  

Algumas mulheres também podem realizar a redução do clitóris. Geralmente essa escolha é feita por mulheres que apresentam deformidade, ou estão insatisfeitas com o tamanho atual do músculo.

 

Redução do monte vênus

Esse procedimento é para retirada do excesso de gordura do monte de vênus que incomoda algumas mulheres principalmente quando usam biquínis ou roupas mais justas.

Redução dos grandes lábios

Algumas mulheres se incomodam com o volume da região dos grandes lábios, sendo assim, nessa cirurgia é realizada a redução dos grandes lábios.

 

Perineoplastia 

É a cirurgia realizada na parte externa da vagina, normalmente por mulheres que tiveram problemas com o relaxamento e alargamento da musculatura do canal vaginal após o parto.

O procedimento reduz o diâmetro do canal vaginal e remodela os músculos pélvicos.

 

Estreitamento do canal vaginal

Esse procedimento tem o objetivo de corrigir a elasticidade da região da vagina. Normalmente essa sensação é tida por mulheres após o parto normal ou quando estão mais velhas e sentem que a vagina perdeu a elasticidade natural.

Clareamento vaginal

Essa técnica ameniza o escurecimento dos lábios vaginais devido a alterações hormonais ou outros fatores. O problema é muito comum após a gravidez e em mudanças hormonais. O maior desconforto do escurecimento é o dano psicológico à mulher.

 

Como se preparar para a cirurgia íntima?

Converse com seu ginecologista ou cirurgião, e eles poderão analisar a quantidade correta da retirada de pele ou gordura, pensando não somente no benefício estético, mas também em sua saúde.

Riscos

Assim como qualquer processo cirúrgico, a cirurgia íntima também pode trazer riscos. Por isso, é importante tirar todas as dúvidas com o médico e seguir todas as recomendações do pré e pós-operatório.

 

Pós-operatório

Siga todas as recomendações do seu cirurgião no pós-operatório. É comum que a região operada fique com algumas manchas roxas por alguns dias, e por conta dos pontos as relações sexuais só poderão ser retomadas após 30 dias.

Também é normal que a região fique um pouco menos sensível nos primeiros dias, mas após a cicatrização a sensibilidade volta e não será alterada durante a relação sexual.

O que achou do artigo? Está planejando fazer uma cirurgia íntima? Que bom, isso é sinal de que a mulher deseja estar mais confiante para se relacionar com seu parceiro e consciente do seu próprio corpo. Além disso, é sinal também de que os tempos de sentir vergonha para procurar um profissional para fazer cirurgia íntima ficaram para trás, como tem que ser.