Se você anda cansada, sente muito frio, vive sem apetite e mesmo assim está ganhando peso, fique atenta! A causa pode ser o hipotireoidismo

A tireóide é uma glândula conhecida pela medicina desde o século 19. Em forma de borboleta, ela se localiza no pescoço, bem abaixo do pomo-de-adão e atua em todo o organismo. A tireóide é responsável, entre outras coisas, pelo controle do metabolismo, por batimentos cardíacos, atividade cerebral, tônus muscular e temperatura corporal.

Mas há apenas 50 anos ela vem sendo estudada mais profundamente Desde então se sabe das consequências provocadas por seu funcionamento irregular. O excesso de atividade dessa glândula acarreta no hipertireoidismo. Quando ela trabalha abaixo do normal, causa o hipotireoidismo.

Em 95% das ocorrências, a principal causa do hipotireoidismo é a tireóide de Hashimoto, uma doença que faz com que o nosso organismo veja na tireóide uma inimiga. Os anticorpos passam a combater a glândula, que inflama. A consequência é a queda da produção hormonal e a tireóide evolui para o hipotireoidismo.

Uma série de fatores pode desencadear essa doença, entre eles a herança genética, excesso de iodo (presente no sal) na alimentação, vírus e, se houver predisposição, o stress. Os outros 5% dos casos são provenientes de causas diversas.

Nos últimos anos os endocrinologistas têm notado um aumento preocupante no número de pessoas diagnosticadas com hipotireoidismo. Normalmente a doença tem maior incidência sobre o sexo feminino: para cada homem com o problema, existem sete mulheres. Mas um estudo recente alertou para um crescimento de homens, jovens e crianças detectadas com hipotireoidismo.

Os principais sintomas são abatimento, depressão, perda de memória, raciocínio lento, sono, frio, constipação, ausência ou menstruação irregular, perda de apetite, ganho de peso, aumento do colesterol, unhas e cabelos fracos e inchaço. Mas esses sintomas podem não aparecer para quem tem um histórico de hipotireoidismo na família. É fundamental passar por uma consulta com um endocrinologista para realizar os exames necessários e assim diagnosticar a doença.