Confira a nossa matéria e saiba mais detalhes sobre essa que é uma das plásticas mais procuradas pelas mulheres

A queda das mamas, ou ptose, no termo médico, pode ser causada pelo envelhecimento natural e também após a gestação e a amamentação. Esses fatores alteram a o tamanho e a posição dos seios, que podem se tornar flácidos e caídos. No vasto universo da cirurgia plástica, o procedimento que corrige esse tipo de imperfeição é a mastopexia, a plástica que reposiciona as mamas.

Como a mastopexia é feita

Cada caso será avaliado individualmente pelo cirurgião plástico, e ele irá indicar as melhores técnicas e incisões para corrigir a posição das mamas da paciente. Existem quatro técnicas que podem ser utilizadas, e abaixo você confere um pouco sobre cada uma:

  • Âncora: é feita na área inferior da mama, abaixo da aréola. É indicada para mulheres cujo grau de queda das mamas é muito acentuado.
  • Fechada ou pirulito: muito indicada para mulheres que não têm próteses de silicone nos seios e que apresentam uma queda moderada das mamas. Aqui, como o nome diz, a incisão é feita em formato de pirulito ao redor da aréola, e a partir dela é puxada uma linha vertical que vai até a dobra do seio.
  • Rosca ou Peri areolar: em geral esse tipo de incisão é feita em mulheres que apresentam um grau de leve a moderado de queda das mamas. O corte é feito ao redor da aréola, e a partir dessa incisão a mama é reposicionada.
  • Crescente: técnica exclusiva para os casos em que o grau de queda das mamas é leve. A incisão é feita ao longo da metade superior da aréola.