Todas as conversas com nossas filhas devem ser claras e francas. Afinal, são os nossos diálogos que moldam o caráter dos filhos

Uma criança que tenha pouca atenção, que vê todos os seus desejos realizados, ou que ao contrário, ouve constantemente palavras de reprovação, poderá ter mais dificuldade em se relacionar com outras pessoas e com o mundo.

Educar um filho é sem dúvida a mais difícil das tarefas. Principalmente porque não nascemos mães ou pais. Aprendemos a cada dia a partir do momento que aceitamos dedicar parte de nossa existência à criação de outra.

É um exercício diário, de paciência, de dignidade, de respeito mútuo. A presença dos pais é essencial no desenvolvimento cognitivo das crianças para que alcancem o sucesso. Por isso, o ideal é que pais e mães partilhem das mesmas obrigações.

E quando dedicamos tempo à educação dos filhos, criamos laços de amizade. Mas é necessário que se estabeleça limites e respeito. Afinal, você até pode ser “amiga” da sua filha, mas acima disso, você é a mãe. A hierarquia é essa, você manda, ela respeita.


Diálogo entre mães e filhas

Deve-se se estabelecer que o diálogo seja item primordial na relação desde os primeiros tempos. No início os bebês podem até não entender as palavras, mas percebem os gestos e o tom de voz, determinando quando alguém está brincando ou brigando com eles. 

Nesse período prioriza-se a linguagem corporal e com o aprendizado das primeiras palavras já se pode iniciar outros tipos de comunicação. Inicie a leitura de histórias e logo se surpreenderá quando futuramente ouvir seu pequeno repetindo a história tantas vezes ouvida. Isso porque ouvir histórias desenvolvem a capacidade de atenção ao mesmo tempo que possibilita a pronúncia das palavras. O mesmo vale para músicas.

Algo também imprescindível é fazê-la sentir-se parte ativa da família, ouvindo suas conversas e deixando a possibilidade de que ela opine sobre alguns assuntos. E mesmo que seu filho não escolha diretamente suas roupas ou as cores da parede de seu quarto, ou qual o melhor passeio para o final de semana, deixe que ele saiba que sua opinião é importante, e que se for o caso, será considerada.

Mesmo com uma rotina agitada, dedique um tempo para conversar com seu filho. Ouvir sobre seu dia cria uma rotina saudável e faz com que ele tenha certeza de que é especial e querido. Logo chegará a fase das perguntas, e é essencial que se tenha cuidado com as respostas, evitando-se mentiras, mesmo que o assunto seja constrangedor para os pais. Lembre-se: não se constrói uma boa relação com mentiras.