Turbinada, Tati Zaqui conta o que mudou na sua relação com o próprio corpo

Conhecida pelo hit “Parará Tibum”, a cantora Tati Zaqui compõe desde os sete anos de idade, e sua trajetória musical é a prova de como as redes sociais têm o poder de lançar os novos talentos da música.

Ela foi descoberta pelo público através do YouTube, quando gravou um vídeo em homenagem a MC Kauan. A canção “Salve MC Kauan” rapidamente viralizou, alcançando mais de 15 mil visualizações em um único dia. Depois disso, o hit Parará Tibum embalou o Carnaval de 2015, e Tati seguiu emplacando sucessos, como “Tô Dando Risada”, “Rolê com Bieber” e “Até o Sol Apagar”.

Recentemente, a musa do gênero funk ousadia resolveu dar uma ‘turbinada’ nos seios, colocando próteses de silicone.  Para fazer o procedimento, cujo resultado arrancou vários elogios dos fãs em seu Facebook, a cantora escolheu uma renomada clínica de cirurgia plástica da capital paulista, a Master Health. Nessa entrevista, ela conta como lida com o assédio dos fãs, fala sobre feminismo e de como ela acha que deve ser a relação das mulheres com a aparência:

Você gosta de interagir com os fãs pelas redes sociais? Quais foram as mensagens mais ‘inusitadas’ que já recebeu?

Tati Zaqui: Eu gosto, sim, de interagir com meus fãs, eu dou o máximo de atenção que eu posso. E mensagens inusitadas eu recebo sempre, por Direct, no Instagram. Umas mensagens muito sem noção, eróticas, eu acho que é a coisa mais inusitada. Nunca aconteceu nada que me deixasse muito brava ou revoltada.

Recentemente você colocou silicone nos seios.  Como está se sentindo agora que está ‘turbinada’? O que você diria às meninas que também têm vontade de mudar alguma parte do corpo, mas adiam a decisão?

Tati Zaqui: É importante a mulher se sentir bem com ela mesma. E agora que eu estou siliconada tudo fica melhor para mim. E para as meninas que têm vontade, e se tiver oportunidade e vontade de mudar eu acho que tem que mudar sim. É importante a mulher se sentir bem. Sempre gostei do meu corpo, mas sempre tinha aquela blusinha que não ficava bem, que não ficava legal. Outra coisa importante é pesquisar bastante o médico e a clínica pra saber que vai ficar bom e ser mais seguro

Tem alguma outra parte do seu corpo que você gostaria de mudar?

Tati Zaqui: Não tem nenhuma parte do meu corpo que eu gostaria de mudar. Talvez só se eu ganhasse um pouco mais de peso, pois com tanto show eu acabo emagrecendo muito e me alimentando mal, mas daí é com o tempo, vamos ver.

Como você lida com o assédio dos fãs?

Tati Zaqui: Eu lido de boa com o assédio dos fãs. Sempre tem uns que são mais doidinhos, só que eles sempre me respeitam.

O assédio aumentou depois que você colocou silicone?

Tati Zaqui: O assédio aumentou sim depois que eu coloquei silicone, porque eles passaram a perguntar sobre, então…

Em tempos em que muito se fala sobre feminismo e empoderamento feminino, qual o principal recado que você gosta de passar ao público com o seu trabalho como cantora?

Tati Zaqui: Hoje em dia as mulheres são empresárias, são donas de várias coisas, então acho que esse assunto de machismo e feminismo também já devia ter acabado, porque direitos iguais para todos. Mas, infelizmente, no mundo que a gente vive isso não vai acabar nunca.