Assim como as técnicas de mamoplastia avançaram ao longo dos anos, os materiais das próteses de silicone também acompanharam essa evolução

Antigamente, era muito mais comum ocorrer, em mamoplastias de aumento, a chamada contratura capsular, condição na qual se formava uma cápsula fibrosa ao redor da prótese de silicone. Isso acontecia, sobretudo, devido ao tipo de superfície da prótese de silicone, que era lisa.

Por que se abandonou o uso das próteses lisas?

Como dissemos, elas favoreciam a formação das cápsulas fibrosas, uma reação normal do organismo a qualquer corpo estranho. Elas envolviam toda a prótese e causavam incômodo, dor, e em alguns casos até mesmo a deformação da prótese. Por esse motivo esse tipo de material foi substituído por versões melhores e mais compatíveis com o nosso organismo.

As próteses texturizadas

Elas foram criadas para substituir de vez as lisas e representaram um grande avanço para a mamoplastia de aumento. Com elas, o índice de rejeição caiu significativamente. De acordo com os profissionais da clínica Master Health, as próteses de silicone de poliuretano chegaram ao mercado na década de 1980 e representaram um grande avanço da técnica.

Como as próteses texturizadas de poliuretano são completamente revestidas com silicone, reduziu-se muito o índice de contratura capsular em mamoplastias de aumento. Esse tipo de superfície é a utilizada nos dias de hoje, e garante resultados mais belos e harmônicos às mamas.