Se sua menstruação nunca bate cartão no dia certo e se não vê mais resultados nos tratamentos contra a acne nem na remoção dos pêlos do rosto, fique atenta: pode ser que você tenha Síndrome dos Ovários Policísticos

Esse conjunto de alterações no ovário tem origem à distância do próprio órgão.

Tudo começa no pâncreas, glândula que fabrica insulina, hormônio essencial para a queima de açúcar no sangue. “Por um defeito no metabolismo da insulina, os níveis de alguns hormônios na mulher ficam alterados, causando uma série de manifestações físicas e psíquicas”, explica o dermatologista Ademir Júnior, especialista em Síndrome dos Ovários Policísticos. Queda de cabelo, oleosidade na pele e couro cabeludo, infertilidade, obesidade, diabetes e aborto espontâneo nos primeiros meses de gravidez fazem parte do pacote de mudanças. Por isso, é importante ficar de olho nesses sinais. “Quando não identificados, podem evoluir para uma hipertensão arterial, risco de doenças do coração e até câncer de mama”, revela o especialista. Isso não significa que todos essas sintomas irão surgir ao mesmo tempo. Pode ser que apenas um ou vários sinais apareçam, dependendo de cada pessoa.

O alvo

Qualquer mulher em idade fértil pode ser vítima. “A síndrome atinge entre 6% e 10% das mulheres em idade fértil”, afirma o dermatologista. Tanto a adolescente com acne como a mulher adulta com dificuldade para engravidar podem ter o problema. O fator genético também contribui. Por isso, se sua mãe já teve a síndrome, seus riscos de possuí-la são bem maiores do que uma mulher que não tem antecedentes na família.

Se você costuma ir ao ginecologista freqüentemente, será fácil saber se é portadora da síndrome. Nas consultas, seu médico poderá identificar os sinais que a caracterizam. Para completar, exames laboratoriais como dosagem de hormônios no sangue ou ultra-som pélvico ou transvaginal podem confirmar o diagnóstico.

Tratamento na mira

É bom saber que a síndrome não tem cura, mas que é possível controlar seus sintomas. Porém, somente o médico poderá indicar o melhor tratamento para o seu caso. Em geral, o uso de anticoncepcionais já é o suficiente para regularizar o funcionamento dos ovários e manter a menstruação em dia. “O tratamento depende dos sintomas que acompanham a síndrome”, afirma Ademir Júnior. A cirurgia só é indicada quando os outros tratamentos não surtem efeito.

Por dentro do ovário

Confira o funcionamento de um ovário sadio e de um policístico:

Ovário normal

Ovário policístico

A quantidade de hormônios androgênicos (masculinos), como a testosterona, é normal Existe um aumento de hormônios masculinos (testosterona)