Cabelos de orientais têm um charme particular. Veja na matéria os cuidados de que eles precisam

Determinadas características dos povos orientais encantam pessoas do mundo todo. Dentre essas “marcas registradas”, os cabelos são uma das mais notáveis. Uma mulher japonesa marca presença mesmo quando está de costas. Seus cabelos, naturalmente lisos, escuros, grossos e brilhantes, são de tirar o fôlego.

É por conterem mais queratina em sua estrutura que os pêlos dos orientais e de seus descendentes são assim. Estudos dizem que isso está intimamente ligado à alimentação ancestral, baseada em peixes, que alterou a genética dos fios até eles chegarem à aparência contemporânea. O resultado é uma cabeleira mais resistente e brilhante, dada de presente pela natureza.
O primeiro cuidado diário dispensado a esse tipo de cabelos deve ser uma boa lavagem. Como os longos tendem a ser oleosos na raiz e secos nas pontas, pedem um xampu para cabelos mistos. Os curtos podem ser lavados com xampu para cabelos normais. Para não deixar os fios sem balanço – lembre-se de que eles já são espessos e têm facilidade para ficar pesados -, o condicionador é aplicado somente nas pontas.
Uma vez por semana, você também pode usar fluído de silicone nas pontas e evitar que elas se partam. Quer manter a vida e o brilho mesmo no meio da sua correria e da poluição? Então reserve um tempinho para fazer uma boa hidratação ao menos uma vez por mês.
Lindo de nascença, o tom escuro dos cabelos das orientais pode deixar suas donas enjoadas de vez em quando. Você pode mudar a cor deles e ganhar outra cara fazendo mechas avermelhadas, acobreadas ou marrons. Tome muito cuidado com os tons de louro, pois eles podem “misturar-se” com o seu tom de pele e deixar seu visual apagado.
Aproveite sua textura lisa e faça muitos penteados da moda. Você não precisa de chapinha e nem adianta apostar no baby-liss – o peso dos fios faz os cachos caírem em pouco tempo. Por fim, não se esqueça de aparar as pontas para fortalecer os cabelos e deixar o aspecto deles sempre lindo.
Como seus cabelos são mais fortes, uma visita ao cabeleireiro a cada dois ou três meses já é suficiente. Caso seu corte seja repicado ou desfiado e precise de manutenção, a freqüência pode ser mensal ou bimestral.