Orientais recorrem à plástica para se livrar de incômodos e problemas oculares

Os olhinhos puxados, característicos de japoneses, coreanos e chineses e seus descendentes são motivo de admiração, mas é comum ouvir relatos de orientais que confessam desconfortos estéticos e até físicos por conta dos contornos dos seus olhos. E para estes casos, a cirurgia plástica conhecida como ocidentalização de olhos é a solução que vem sendo cada vez mais procurada: a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica estima que são feitas cerca de 14 mil procedimentos desse tipo a cada ano.

Quem busca ocidentalizar os olhos geralmente quer ter olhos com aparência maior, dando mais luminosidade ao olhar. Muitos até se inspiram nos mangás, os quadrinhos japoneses cujos personagens apresentam como traço os olhos e cílios muito grandes.

Plástica não descaracteriza a pessoa

A plástica de ocidentalização faz uma dobrinha na pálpebra do paciente, e não tiram o traço característico dos orientais. Ou seja, os olhos continuarão puxados, mas com a dobrinha na pálpebra, geralmente inexistente nessa etnia.

Questão de saúde

É claro que a maioria procura a plástica de ocidentalização por motivos estéticos, mas o procedimento também resolve os problemas oculares tão comuns entre os orientais, como a pele em excesso que atrapalha a visão. Além disso, quando ganham as ‘dobrinhas’, os olhos ficam menos vulneráveis a problemas oculares, pois os cílios estarão na posição correta para desempenhar sua função de proteção.

Fonte: Clínica Master Health