Fez uma cirurgia de nariz e agora tem algum problema para respirar? Ou fez e acha que esteticamente é possível melhorar o aspecto? Com a rinoplastia secundária é possível corrigir esses impasses.

A rinoplastia por si só, é uma das cirurgias plásticas mais complexas. A cirurgia de correção de nariz, ou rinoplastia secundária ainda que comum, é ainda mais complicada, pois envolve alterar algo que já passou por um procedimento. Como a região já foi modificada e ainda está muito sensível, o profissional deve manipular as partes do nariz da forma mais delicada possível.

Remodelagem de nariz

Na rinoplastia secundária, se for necessário o uso de enxertos para modelar as estruturas nasais, como já houve uma intervenção, a opção será retirar cartilagens de outras áreas do corpo, como orelhas ou ossos da costela. A dificuldade dessa segunda operação se dá na manipulação dos tecidos, uma vez que eles tendem a estar mais firmes e com fibrose no nariz, devido à primeira cirurgia. Quanto maior a quantidade de vezes que o nariz foi alterado, maior é a complexidade do procedimento, pois há menos tecidos para o cirurgião modificar.

Veja também: Quando é indicado fazer a rinoplastia

O profissional

Devido à complexidade e delicadeza da rinoplastia secundária, o cirurgião plástico escolhido deve possuir especialização em rinoplastia, além de ser membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e registrado pelo Conselho Regional de Medicina (CRM). Somente um especialista na área pode avaliar o atual formato do nariz e manipular os tecidos com maior grau de cuidado e precisão. Porém é importante salientar que o sucesso do procedimento não depende exclusivamente do cirurgião. Condições como fibrose no nariz, pele aderida ao osso e até excesso de pele podem influenciar na segunda cirurgia. Até particularidades de cada paciente devem ser levadas em conta, fatores como a má execução da primeira operação, dobras na cartilagem e ações respiratórias. O profissional deve analisar precisamente as circunstâncias em que o nariz se encontre e informar ao paciente a possibilidade de realizar uma nova operação.