Entenda as principais razões culturais e técnicas que levam o Brasil a ser considerado uma superpotência na área de cirurgia plástica

O Brasil é o segundo país do mundo onde mais se faz cirurgia plástica. Ficamos atrás apenas dos Estados Unidos, que lideram o ranking de cirurgias plásticas feitas por ano. Para se ter uma ideia de como o número de cirurgias plásticas no Brasil é expressivo, em 2015 foram feitos 2,32 milhões de procedimentos no país, por exemplo. Nos Estados Unidos foram feitas 4,04 milhões de plásticas. Os dados são de uma pesquisa feita pela Isaps (sigla em inglês para Sociedade internacional de cirurgias plásticas para fins estéticos).

Cirurgiões plásticos qualificados

Como a demanda no país é grande, o número de profissionais brasileiros especializados em cirurgia plástica também impressiona. A pesquisa da Isaps mostra que em 2015 o Brasil tinha 5500 cirurgiões plásticos, ante 6500 profissionais norte-americanos. Países que são referência em desenvolvimento e qualidade de vida, como a Alemanha, por exemplo, têm um número bem menor de profissionais. No país europeu são apenas 1100 cirurgiões plásticos.

Afinal, por que a plástica faz tanto sucesso no Brasil?

Esse questionamento já é tema de diversos estudos culturais, sociológicos e antropológicos. A pesquisadora Denise Bernuzzi é autora do artigo “O imperativo da beleza no Brasil”. No artigo ela levanta algumas hipóteses para o sucesso das cirurgias plásticas no país. Ela acredita que o fato de a população brasileira ainda ser predominantemente jovem tenha a ver com isso. Com muitas pessoas jovens, a sociedade como um todo tende a ser mais crítica com relação aos sinais do envelhecimento no corpo.

Além dos fatores apontados pela pesquisadora, a grande maioria dos pacientes que chegam a um consultório de cirurgia plástica relata que optaram pela plástica porque desejam viver plenamente. Ou seja, felizes com o próprio corpo. Para eles uma cirurgia plástica tem o poder de devolver a confiança, a autoestima e a qualidade de vida. É o que relatam os profissionais da clínica Master Health, em São Paulo.

A popularização da plástica

Se antes a cirurgia plástica era acessível apenas às pessoas com maior renda, hoje esse quadro é diferente. Em casos específicos, como correção de lábio leporino, ou correção de cicatrizes causadas por acidentes, é possível que o governo pague pelo tratamento através do SUS. Também já existem clínicas de cirurgia plástica que facilitam o pagamento dos procedimentos, abrindo, por exemplo, a possibilidade de parcelamento do valor.