Recentemente mantemos vocês informados sobre o que estava ocorrendo no início do processo de impeachment. E é claro que não iríamos deixar de falar da continuidade dele aqui hoje. Nessa segunda-feira, 29, os senadores foram transformados em julgadores. Eles decidirão se Dilma Roussef irá perder definitivamente seu mandato ou não. A presidente foi afastada de seu cargo desde 12 de maio e afirma, em seu discurso, não cometer crime de responsabilidade.

– Discurso favorável 

Um dos pontos mais levantados sobre Dilma são os foras que ela dá em seus discursos, afinal, quando atingirmos a meta, vamos dobrar a meta. Mas hoje parece que ela resolveu fazer bonito e fazer um discurso bem estruturado. “Ela está se esforçando. Demonstrou respeito.”, avaliou a advogada Janaína Paschoal, enquanto, por outro lado, Aécio Neves diz que achou as respostas de Dilma “evasivas”, “Ela aproveita cada pergunta para fazer um discurso político”, afirma ele.

– Presença de Chico Buarque

Chico Buarque é um dos que integra, ao lado do ex-presidente Lula, a comitiva pró-Dilma. Ele acompanha a defesa da presidenta eleita no Senado. Mais cedo, eles posaram para foto juntos. Ele acompanhou o depoimento dela ao Senado, na manhã de hoje (29). Antes, no Alvorada, conversaram sobre a canção “Apesar de você”, que marcou a juventude da presidente.

– É golpe

Um dos argumentos mais utilizados pelos defensores de esquerda é sobre o suposto golpe que irá acontecer se o impeachment realmente for efetivado. “Se me julgarem sem crime de responsabilidade é golpe. É um golpe integral. Não recorro ao Supremo porque não esgotei essa instância, os senhores senadores não votaram. Vim aqui porque respeito essa instituição”, diz a presidente.

Se vai rolar ou não vai rolar, o que o povo brasileiro realmente quer saber é se o país vai para frente, seja lá com quem estiver no posto.