herpes-labial-como-tratar-esse-incomodo

Herpes labial: como tratar esse incômodo

Redacao

Testes apontam para dois remédios definitivos contra esse mal. Saiba mais na matéria.

Começa com uma coceira na região labial. Depois o local esquenta e, junto com o risco de contágio, aparecem as bolhas. Num estágio seguinte essas bolhas estouram e provocam muita dor. Essa é a descrição dos sintomas causados pelo vírus do herpes, que por atacar as pessoas com muita facilidade ficou conhecido como “a gripe da pele”.

Embora especialistas estimem que 90% dos brasileiros estejam infectados, apenas 10% desenvolvem a doença. Não há comprovação científica que explique a manifestação do herpes nessas pessoas, mas a experiência clínica aponta para causas emocionais. Pessoas mais tensas, ansiosas e perfeccionistas seriam mais vulneráveis à instalação da doença – que normalmente aparece quando há baixa da resistência física.

A boa notícia é que o vírus do herpes pode estar com os dias contados. A erva Echinacea purpúrea e um aminoácido chamado “lisina” são duas novas promessas para um lábio à prova de herpes. Ainda em fase de testes, o tratamento com os dois remédios é indicado para pacientes que sofrem até duas vezes por mês com o aparecimento das lesões.

O uso da lisina também demonstrou muita eficiência no combate ao vírus do herpes. Aliado a princípios ativos como o aciclovir, valociclovir e fromuir, o aminoácido retardou a incidência e diminuiu o crescimento das lesões na maioria dos casos.

Enquanto os estudos prosseguem saiba que você pode evitar o aparecimento do herpes labial evitando a exposição excessiva ao sol, protegendo os lábios todos os dias e consumindo alimentos ricos nas vitaminas A, E e C. E, se for possível, tente não se estressar com bobagens…

Envie seus comentários