A indústria alimentícia surgiu com várias opções de chocolate “fit” para o consumidor que está tendo um cuidado maior com a sua saúde. Mas será que isso realmente existe?

Não tem como resistir às tentações: sempre dá vontade de comer um chocolatinho, especialmente nos períodos de TPM ou naqueles dias mais tensos. E a indústria sabe disso e pensa também no público fitness, criando versões gourmet, tabletes especiais e… chocolate fitness! Isso mesmo. Pensando nas pessoas que estão procurando um modo de vida mais saudável, a indústria alimentícia surgiu com várias opções de chocolate “fit”. Mas será que eles realmente são saudáveis? Nós do Fique Linda resolvemos tirar essa história a limpo!

Um alimento é considerado funcional quando, além de nutrir, influencia positivamente no metabolismo e na fisiologia do corpo. Para que o chocolate realmente tenha características funcionais, ele tem que ser amargo ou meio amargo. Eles possuem mais de 50% de cacau na sua formulação, além de uma substância chamada teobromina. Ela auxilia nas funções renais e cardíacas, diminuindo o cansaço mental.

A associação com outros ingredientes (saudáveis) potencializa essa característica “fitness”.  A dica é o chocolate assimilado ao whey protein, por exemplo, que é a proteína isolada do soro do leite, ou a termogênicos (possuem o poder de elevar o metabolismo) como a canela, gengibre, castanha e alguns tipos de nozes, que também atuam no combate ao mau colesterol, tornando tudo mais benéfico à saúde e… gostoso!

Portanto, é possível comer um chocolate saudável, sim! Basta se atentar aos ingredientes e informações nutricionais. Além disso, prefira as versões caseiras. Elas não possuem substâncias como conservantes e aromatizantes, utilizadas para durarem mais tempo nas prateleiras de supermercados.