A Cirurgia Plástica evoluiu muito nestes últimos anos. As anestesias são extremamente eficazes, os métodos oferecem maior segurança e a recuperação é mais rápida. Confira na entrevista com o Dr. Deodato Ferreira Leite quais foram as mudanças significativas nesta área

As novas técnicas, anestesias e aparelhos cirúrgicos tornaram a cirurgia plástica mais segura do que há vinte anos atrás. Mas, o que realmente mudou nesta área da medicina? A Revista Fique Linda entrevistou o Dr. Deodato Ferreira Leite, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, para descobrir o que evolui neste período.

Revista Fique Linda: Quais mudanças foram mais significativas na área de cirurgia plástica nos últimos vinte anos?

Dr. Deodato: Acho que muita coisa mudou. A anestesia, as técnicas e os métodos para recuperação foram aperfeiçoados. A pessoa que passa por uma cirurgia plástica sente-se segura também porque está mais informada. Além disso, o pós-operatório é mais tranqüilo. Por exemplo, a mulher que fizesse uma cirurgia na mama precisava ficar três dias internada e recebia um curativo com gesso. Hoje, dependendo do tipo de cirurgia, ela sai no mesmo dia e usa apenas um sutiã modelador.

Revista Fique Linda: E os tipos de cirurgia. Existe alguma cirurgia que não existia há vinte anos atrás?

Dr. Deodato: Os tipos de plástica são basicamente os mesmos, mas acho que a maior invenção na área de cirurgia plástica nestes anos foi a lipoaspiração. Esta cirurgia foi realizada pela primeira vez no início da década de 80 e já evoluiu bastante. Antes, as cânulas eram bem grossas, o que limitava o resultado da cirurgia. Hoje, as cânulas são tão finas que chegam a ter apenas um milímetro. Assim, o trauma da cirurgia é menor e o tempo de recuperação também diminui.

Revista Fique Linda: As próteses de silicone também estão mais seguras…O que mudou?

Dr. Deodato: Elas melhoraram bastante. Aliás, o grande aumento no número de cirurgias plásticas para aumento das mamas se deve a esse fator. Atualmente, ninguém mais tem medo de aumentar os seios porque sabe que é seguro. As mulheres sabem que a cirurgia é segura e que a prótese não vai “estourar”. No Brasil era muito raro fazer este tipo de cirurgia, ao contrário dos Estados Unidos, onde esta operação é bem comum. Hoje as mulheres recorrem à plástica sem medo porque as próteses são mais resistentes, não deixam “vazar” o silicone e duram em média dez anos.

Revista Fique Linda: E a cirurgia? Em que aspectos ela evoluiu?

Dr. Deodato: A cirurgia em geral, não só a plástica, evoluiu muito. Hoje existem equipamentos mais modernos. A hemostasia (técnica para evitar hemorragia) melhorou bastante com os eletrocautérios modernos. Em algumas cirurgias não existe perda de sangue. Além disso, os cortes são os mínimos necessários para facilitar a recuperação.

Revista Fique Linda: O aumento no número de cirurgias plásticas deve-se a estes fatores?

Dr. Deodato: Existe também um outro fator importante. A cirurgia plástica mudou seu conceito. Ou seja, hoje não existe mais um padrão de seio, nariz, boca…A plástica precisa formar um conjunto harmonioso com o restante do corpo. Ninguém mais quer um nariz arrebitadinho. A pessoa que procura uma rinoplastia (plástica do nariz) quer um nariz que combine com seu rosto. Assim como nenhuma mulher quer os seios da atriz da novela. Ela quer seios que estejam em harmonia com seu corpo, levando em consideração sua altura, peso, tipo físico. Isso é muito importante. A mulher quer ficar bonita, sem deixar de ser ela mesma. A única coisa que não mudou nestes anos todos foi a satisfação da mulher em recuperar sua auto-estima após uma cirurgia plástica bem sucedida.