Antes da plástica o médico pode recomendar a suspensão de alguns medicamentos; saiba como o anticoncepcional pode afetar a cirurgia

Nas primeiras consultas com o cirurgião plástico, ele irá fazer uma série de perguntas sobre os remédios que o paciente costuma tomar. Nesse momento, é importante ser bastante clara e informá-lo, inclusive, sobre o uso do anticoncepcional.  O cirurgião plástico também irá pedir uma série de exames. Com a avaliação do estado de saúde da paciente, ele poderá determinar quais medicamentos deverão ser suspensos antes da plástica.

Por que o uso do anticoncepcional pode ser suspenso?

Por ser um medicamento que contém hormônios, ele altera as funções do sangue. E isso pode ser um fator de preocupação para o médico. Alguns dos hormônios contidos em certos anticoncepcionais podem aumentar as chances de trombose, uma condição muito temida pelos médicos durante uma cirurgia plástica. Por esse motivo, alguns profissionais consideram mais seguro que a paciente suspenda o uso do medicamento pelo menos 30 dias antes da cirurgia plástica.

Quando o anticoncepcional é liberado

Existem, sim, os casos em que a paciente pode continuar tomando o seu anticoncepcional normalmente. Isso vai depender das condições gerais de saúde de cada paciente, que podem ser analisadas pelo médico com todos os exames pré-operatórios que são feitos. Além disso, em alguns procedimentos como, por exemplo, a cirurgia íntima, o anticoncepcional pode ser um aliado. O medicamento impede a menstruação e facilita o procedimento e também o pós-operatório.