Adolescentes com pais que costumam gritar possuem uma taxa maior de mau comportamento e maiores casos com sintomas de depressão. Fique fora dessa!

Um estudo recente realizado pela Universidade de Pittsburgo, da Faculdade de Educação e pelo Instituto de Pesquisa da Universidade de Michigan mostrou que os adolescentes de 13 e 14 anos com pais que costumam gritar possuem uma taxa maior de mau comportamento e maiores casos com sintomas de depressão. Visando isso, decidimos separar algumas dicas para as mães lidarem com a raiva, o mau comportamento e evitar o grito durante a educação dos filhos:

Conte até 10

A contagem serve para você respirar fundo, manter a boca fechada e ter tempo para olhar para seu filho.  Serve principalmente para ver a situação como realmente se apresenta para pensar na melhor solução para o caso. Se 10 não funcionar, tente 20, 50, 1000…

Converse com seu filho

Tente entender o motivo do erro e, quando perguntar, ouça a história toda em silêncio. As vezes, ele precise mais de ajuda do que de correção.

Use o castigo

O castigo é uma forma de educar sem punir drasticamente, além de fazer a criança se arrepender e repensar sobre suas atitudes. Para que ele seja efetivo, é necessário privar o(a) filho(a) de algo que realmente goste, como jogar vídeo game, sair com amigos, televisão, etc.

Dê limites

A criança que não tem limites deverá descobri-los. A comunicação é essencial. Diga até onde ela pode ir, o que deve ou não fazer, e o que é ou não aprovado dentro de casa. Quanto mais claro o limite mais fácil será ela se manter dentro dele.