Dificuldades para andar e até assaduras costumam ser as queixas de quem procura o procedimento

Basta observar nas academias: os treinos para as pernas são os preferidos entre as mulheres. Elas estão sempre em busca de modelar os contornos e perder as tão temidas gorduras localizadas. Mas nem sempre isso é possível somente com dieta balanceada e exercícios físicos, especialmente na região interna das coxas.

Além da preocupação com a beleza, em muitas mulheres as coxas grossas costumam se transformar em um problema que afeta ações do cotidiano. Em alguns casos, até mesmo usar vestidos ou saias tornam-se um problema. Pois, além da vergonha em se expor, muitas mulheres se queixam das dificuldades que a gordura na região trazem na hora de andar com o atrito entre as pernas. Isso pode causar até mesmo assaduras.

Em geral, o primeiro passo é procurar por uma lipoaspiração nas coxas. Mas em alguns casos a cirurgia plástica nesta região, chamada dermolipectomia, se mostra mais eficiente, pois o procedimento retira a pele excedente.

Como a plástica é feita

A dermolipectomia nas coxas é feita com uma anestesia peridural. A cicatriz é mínima, ficando na região da virilha, em uma prega natural. A cirurgia plástica é feita em um hospital, e no pós-operatório é necessário utilizar uma meia-calça como curativo de contenção. Seguindo as orientações médicas corretamente, a paciente pode retomar suas atividades cotidianas, em média, após duas semanas da cirurgia plástica.