Especialistas explicam do que são feitas as próteses de silicone usadas nas mamoplastias de aumento

Você, que já pensou em colocar silicone nos seios, sabe do que as próteses são feitas? É isso o que nós vamos responder no post de hoje. Ouvimos os especialistas da clínica Master Health, e eles nos explicaram todos os detalhes, vem conferir e tirar as suas dúvidas.

Grande parte dos implantes são feitos de elastômero de silicone e preenchidos com gel de silicone de alta coesividade. Como esse gel fica em um estado semissólido, a sua consistência fica muito parecida com a das mamas. Outra grande vantagem desse material é que a alta coesividade minimiza os riscos de vazamento do gel caso a prótese se rompa.

Essa alta coesividade também ajuda a impedir a migração (ou vazamento) do gel em caso de ruptura da prótese.

Risco de rejeição do silicone é cada vez menor

Esse é um dos grandes questionamentos quando se pensa em colocar silicone nos seios, mas não há o que temer. Nos últimos anos, com o avanço das técnicas e dos materiais utilizados, o risco de rejeição é muito pequeno. Os implantes mais novos e modernos têm expessura reduzida, evitando, assim, a contratura muscular. Isso ocorre quando há o enrijecimento do tecido da mama que cerca o implante durante a cicatrização do procedimento.

Conheça outros tipos de próteses

As próteses com silicone em forma de gel são as mais comuns. Existem também outros tipos de implantes, os de poliuretano e as próteses salinas. O implante de poliuretano é indicado pelos médicos quando a paciente já tem algum caso de contratura capsular e rejeição às próteses de gel de silicone. Nesses casos, a parte externa da prótese, que fica em contato com o corpo, será feita de poliuretano, mas o seu interior continua sendo de silicone.

Já as próteses salinas são implantes de silicone que são preenchidos por soro fisiológico. Elas são mais comuns no exterior, pois no Brasil não são feitas mamoplastias de aumento com esse tipo de prótese.  Além de ter um alto risco de vazamento do soro fisiológico, essas próteses deixam as mamas com um aspecto muito artificial, e por isso não são usadas pelos cirurgiões plásticos brasileiros.