O sonho de ser mãe está cada vez mais próximo? Descubra algumas dicas para planejar as finanças até a chegada do bebê.  

Preparar-se para a chegada do novo membro da família é um momento muito importante e, nesta situação, é necessário organizar as coisas em casa e ter sempre uma verba extra para garantir que o bebê tenha tudo o que precisa.

Um bebê tem diversas despesas e, se você não estiver preparada, o aperto no final do mês pode ser certo. Assim, uma ótima forma de se prevenir é colocar tudo em ordem antes da chegada do filhote e já ter se planejado para cobrir os gastos extras.

Planejando-se financeiramente para a chegada do bebê

Primeiramente é importante saber quanto tempo falta para a chegada do neném, afinal, todo o planejamento precisa ser cumprido antes do seu nascimento, certo?

Se você ainda estiver no início da gestação, você poderá ter mais tempo para pesquisar os melhores preços e juntar um dinheirinho a mais. Assim, na chegada do bebê já estará tudo comprado e você não precisará esquentar a cabeça com o esquecimento disso ou daquilo.

Alguns itens, como os sapatinhos e as roupinhas, podem ser colocados como os últimos da lista. Isso porque, geralmente, ganhamos muitas peças nos chás de bebê e também quando recebemos visitas.

Para facilitar o orçamento e economizar nas fraldas, a organização de um chá de fraldas é uma ótima escolha, econômica e divertida. Como o bebê se desenvolve rapidamente, opte por menores quantidades das fraldas pequenas, como a RN. Sem contar que, dependendo do tamanho que seu bebê nascer, ele poderá nem usá-las.

Monte uma planilha com todos os gastos mensais, tanto das contas fixas de casa (como aluguel, financiamento do carro, seguro, etc.), como também de supermercado e despesas com combustível e manutenção do carro. A dica é anotar todos os gastos que você tiver. Assim, você consegue ver para onde seu dinheiro está indo e verificar onde os cortes podem ser realizados, caso necessário.

Para economizar, converse com outros pais. Às vezes eles estão desapegando de itens caros e pouco usados como o carrinho ou o berço e, assim, você já economiza. Além disso, tente manter um fundo de emergência. Uma meta legal é a de reservar 10% do salário todo mês e depositar em uma poupança, que pode ser usada para qualquer emergência.