Você decide fazer uma cirurgia plástica que necessita de anestesia e bate aquele friozinho na barriga só de ver as agulhas? É possível perder esse medo de injeção tendo em mente algumas recomendações.

Segundo uma pesquisa feita pela Sociedade Americana de Anestesiologia, 75% dos entrevistados temem a anestesia. Esse mesmo estudo nos mostra que um a cada quatro pacientes desistem ou adiam a operação devido ao receio da injeção de anestesia.

A anestesia foi uma das maiores descobertas médicas, pois elimina a dor e possibilita conforto e relaxamento para o paciente, através de sedação e medicamentos. Dentre todos os tipos de cirurgia, é importante dizer que todas são seguras. A imagem que as pessoas têm que a anestesia geral é mais perigosa é errada. Esse procedimento é uma técnica que facilita a execução de cirurgias mais demoradas e de grande porte. Não que as anestesias nunca foram perigosas, mas isso é coisa do passado, onde ocorriam algumas complicações e reações. Com o conhecimento que se têm hoje, os danos foram diminuídos ao mínimo.

Veja também: Conheça os principais tipos de anestesia aplicadas na cirurgia plástica

Existem 7 razões que você deve estar ciente para que possa começar a perder o medo da injeção de anestesia:

1 – A anestesia tem o objetivo de diminuir o seu incômodo. É uma via de mão dupla, serve tanto para o paciente ficar confortável e seguro, quanto para a equipe médica, que pode realizar o procedimento de forma eficiente e calma.

2 – Com a tecnologia e conhecimento que temos hoje em dia, o paciente está, durante toda a operação, sendo monitorado e devidamente medicado. Assim, é garantia que você terá um sono tranqüilo e um rápido despertar, com o pós-operatório menos doloroso.

3 – Tem receio de acordar durante a cirurgia e não conseguir avisar a equipe médica? Não se preocupe. Com o monitoramento intra-operatório, é possível avaliar a profundidade do sono e o quão relaxado seus músculos estão, eliminando a possibilidade de algo desse tipo acontecer.

4 – A dor de cabeça da temida anestesia Raqui, é mais comum em jovens. Esse sintoma é uma complicação benigna e rara e pode ser resolvida facilmente com analgésicos e hidratação.

5 – 53% a 83% dos adultos acordam tremendo após o procedimento. A solução é bem simples, basta se hidratar com soro aquecido e esquentar-se com uma manta.

6 – Ter coceira e sentir-se trêmulo após a cirurgia não são reações alérgicas. Como houve algumas mudanças no corpo, o organismo manifesta essas sensações, que são passageiras. No caso de mulheres, ainda existe a possibilidade de ocorrer náuseas ou vômitos na recuperação. Os motivos para que todas essas coisas aconteçam, podem ser devido a vários fatores, como os fármacos, sangue deglutido, distensão gastrointestinal e jejum prolongado.

7 – No pré-operatório, é fundamental que o paciente seja franco sobre problemas de saúde, consumo de medicamentos, uso de drogas e álcool e possíveis reações em procedimentos anteriores. Esses fatores podem comprometer uma anestesia bem-sucedida.

Além desses motivos, não há com o que se preocupar, pois o anestesista estará presente. Ele está preparado para tirar todas as suas dúvidas e diminuir a tensão. Esse profissional irá verificar todos os itens importantes, desde o anestésico mais indicado até o processo da anestesia, além de estar te monitorando durante toda a cirurgia.