Para reduzir o volume dos seios e levantar as mamas a cirurgia de redução mamária está mudando a vida de um grande número de mulheres

Mais do que nunca, os seios estão em evidência. Muitas mulheres buscam próteses mamárias para valorizar o busto. Mas, a cirurgia plástica mais procurada pelas mulheres (e a mais realizada no Brasil) é a Mastoplastia Redutora, ou seja, a cirurgia de redução mamária.

Normalmente são as mulheres mais maduras, as que já tiveram filhos e amamentaram, que procuram esse tipo de cirurgia para recuperar o formato original dos seios. Um outro público é formado por adolescentes, entre 15 e 18 anos, que têm mamas gigantes (gigantomastia) e se sentem envergonhadas e desconfortáveis com o tamanho do busto.
A cirurgia pode ser feita em vários casos:
  • para levantar a mama;
  • para reduzir o volume e levantar;
  • apenas para reduzir o tamanho dos seios.
Entre as técnicas mais usadas, a mais comum é a chamada cirurgia do “T” invertido”. Uma técnica que foi criada pelo famoso cirurgião Ivo Pitanguy e que envolve um corte em volta da aréola, um corte no sulco mamário e outro que liga os dois. O que resulta em uma cicatriz no formato de um “T” invertido.
Outra técnica é a do formato em L, indicada para casos que não exigem uma grande redução do busto, e, portanto, o excesso de pele não é muito grande. Os cortes são feitos em volta da aréola, na porção lateral do sulco mamário e na ligação entre os dois.
A terceira opção é a técnica “Periareolar”, que resulta em uma única cicatriz em torno da aréola. Indicada apenas para os casos em que há uma ligeira queda da mama.

Tire suas dúvidas e confira mais informações abaixo em nossa listagem de perguntas e respostas com as dúvidas mais freqüentes das mulheres que procuram pela cirurgia

Quais são as chances de obter sucesso?

Essa é a pergunta mais ouvida pelos médicos: vai ficar bom? As chances de se obter sucesso são muito grandes. Tudo depende da escolha do médico. Ele deve obrigatoriamente estar credenciado na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBPC). É importante também que você veja um trabalho realizado pelo cirurgião. Antes de tomar uma decisão, pesquise sobre o assunto, converse com o médico, tire todas as suas dúvidas.

Qual o tipo de anestesia utilizada?

Podem ser usadas vários tipos de anestesia (local, geral, peri-dural). A decisão é do cirurgião.

Quanto tempo demora a cirurgia?

Vai depender do tipo de mama. Normalmente, a cirurgia pode ser feita de duas horas e meia a quatro horas.

Qual o tempo de internação?

De meio período a um dia.

As cicatrizes da cirurgia são muito visíveis?

Isso vai depender da técnica que foi usada na cirurgia. A qualidade da cicatrização depende também de fatores genéticos e individuais. Sabe-se, por exemplo, que pessoas de raça negra e orientais têm maior dificuldade de cicatrização.

Posso perder a sensibilidade no bico do seio?

Quando a cirurgia envolve uma redução muito grande do volume do seio existe a possibilidade de uma redução da sensibilidade no bico. O processo é transitório na maior parte dos casos.

Poderei amamentar depois de ter feito a cirurgia?

Após o processo de recuperação da cirurgia, o aleitamento pode ser feito normalmente.

Quando poderei voltar ao trabalho?

Após 30 dias é possível retomar todas as atividades, incluindo trabalhar, dirigir e digitar. Logo após a cirurgia, repouso é relativo. Você poderá andar e tomar banho sozinha no dia seguinte à cirurgia.

A partir de que idade as adolescentes podem fazer a cirurgia?

A cirurgia só pode ser feita quando a mama parou de crescer. Normalmente, ela é feita dois anos após a primeira menstruação.