A cirurgia de ocidentalização dos olhos está em alta nos consultórios de cirurgia plástica. E ao contrário do que muitas pessoas pensam, o procedimento não remove os traços originais das pessoas orientais. Ele apenas busca reformular o olhar para que este se pareça mais com os olhos dos ocidentais.

Mas, afinal, a cirurgia de ocidentalização dos olhos é indicada para quem?

O que é a cirurgia de ocidentalização dos olhos?

As técnicas usadas no procedimento de ocidentalização dos olhos, visam desenvolver a prega supra tarsal, ou “preguinha dos olhos”.

Essa prega é uma dobra localizada acima das pálpebras e costuma ser ausente nos olhos orientais, como dos japoneses, chineses, coreanos e outras etnias de origem asiática.

Assim, a cirurgia de ocidentalização dos olhos busca corrigir essa aparência comumente rejeitada por a quem a possui.

Para quem é indicada a ocidentalização dos olhos?

Em geral, a ocidentalização dos olhos é indicada para as pessoas de origem asiática que se incomodam com os problemas trazidos pela falta da prega supra tarsal, como olhos menores.

Além de não trazer a dobra dos olhos ocidentais, a ausência da prega costuma deixar um excesso de gordura na pálpebra superior. Tal gordura associada ao rosto oriental deixa o olho aparentemente menor e com a impressão de estar inchado.

As questões que levam o paciente a buscar a cirurgia de ocidentalização dos olhos nem sempre são por estética. Isso porque, juntamente com a falta da prega, pode ocorrer nessas pessoas a ausência de cílios. E sem a proteção ciliar, certos problemas de saúde podem ocorrer, como maior chance de alergias oculares e conjuntivites.

Como é o procedimento para ocidentalizar os olhos?

Existem algumas técnicas cirúrgicas que promovem a ocidentalização dos olhos. A decisão depende do formato dos olhos e rosto e do desejo do paciente. As técnicas possíveis mais utilizadas são:

Confecção da prega supra tarsal

Caso haja excesso de pele na pálpebra superior, sua remoção cria a prega usando este mesmo excesso.

A dobra é criada a partir de uma incisão realizada na parte superior dos olhos. Este procedimento não costuma deixar marcas aparentes, tornando o procedimento o mais comum. No entanto, ele só é possível se houver excesso de pele.

Técnica de pontos contínuos

Esta técnica consiste em realizar pontos contínuos na pálpebra superior através de pequenos cortes nos cantos laterais. Por meio dela, as incisões são milimétricas, tornando a intervenção quase imperceptível.

O pós-operatório desta técnica é bem mais tranquilo, ou seja, deixa apenas um leve inchaço, algo causado por qualquer cirurgia.

Ambas as técnicas de cirurgia plástica de ocidentalização dos olhos são rápidas e não costumam ter duração maior do que uma hora e meia. As intervenções são realizadas com anestesia local e uso de sedativos o que dispensa internação. A recuperação não é demorada o que permite ao paciente o retorno à sua rotina em poucos dias.

E então, gostou de saber para quem é indicada a cirurgia de ocidentalização dos olhos? Então aproveita para compartilhar esse post em suas redes sociais!