Nem sempre as cirurgias plásticas estão focadas na melhoria estética. Existem casos de cirurgia plástica reparadora, em que a operação é necessária para melhoria da saúde do paciente.

Dentro do ramo da cirurgia plástica, existem dois segmentos: as cirurgias estéticas e as cirurgias de reparação. No caso das cirurgias estéticas, o objetivo visa a melhora da autoestima da pessoa, ao deixar o corpo esteticamente equilibrado.

Por outro lado, os casos de cirurgia plástica reparadora são necessários para a melhora da qualidade da vida do paciente em seu dia a dia. Para entender em qual dos segmentos sua cirurgia se encaixa, leia atentamente o post!

Quais são os tipos de cirurgia plástica reparadora e quando são necessárias?

Conheça os principais casos de cirurgia plástica reparadora e como eles podem ser realizados.

Reconstrução da mama

Este tipo de cirurgia plástica reparadora é realizado em mulheres cujo seio possui algum tipo de deformidade. Desta maneira, é muito comum que mulheres que passaram por câncer de mama façam o procedimento.

Além dos cirurgiões plásticos particulares, o SUS realiza cirurgia plástica reparadora em mulheres que tiveram o câncer de mama. Em alguns casos, logo após a retirada do tumor o médico já coloca a prótese e faz a reconstrução em um único procedimento.

Mulheres com seios muito grandes também podem fazer a cirurgia de reparação. Isso acontece por que o peso das mamas pode prejudicar a coluna da paciente.

Além disso, existem casos em que a mulher nasce naturalmente com mamas assimétricas, ou seja, de tamanhos diferentes. Neste tipo de situação, cirurgião plástico também pode realizar uma cirurgia plástica reparadora, deixando os dois seios iguais.

Queimaduras na pele

Pessoas que passaram por processos de queimaduras graves acabam ficando com a pele deformada. Assim também, as cirurgias plástica reparadoras podem melhorar a aparência da pele.

Nestes casos, pode ser necessário — a depender da extensão de ele afetada e profundidade da lesão — fazer a cirurgia plástica reparadora mais de uma vez para alcançar o resultado estético desejado.

Cirurgia pós-bariátrica

A cirurgia bariátrica é realizada para a perda de peso em pessoas obesas. Porém, após o processo de perda de gordura, a pele da barriga, dos braços e da perna pode causar graves assaduras. Neste caso, o paciente se beneficiará com uma cirurgia de reparação para a retirada de flacidez.

Sinais de nascença e pintas

Muitas pessoas nascem com manchas e sinais na pele, como os nevos, popularmente conhecidos como pintas. Além dos incômodos estéticos — como pintas muito grandes e aparentes — outras pessoas nascem com pintas ou verrugas que atrapalham em atividades do dia a dia.

Um exemplo, são as pintas que nascem no lugar onde o sutiã encosta. Estes casos também se encaixam nas cirurgias reparadoras.

Retirada de câncer de pele

Além dos dermatologistas, os cirurgiões plásticos também estão preparados para a retirada de câncer de pele. Porém, com a vantagem de não apenas remover “o mal pela raiz”, como dizem, mas também deixando a aparência local o mais parecido possível com a original.

Este tipo de procedimento também é chamado de cirurgia plástica reparadora, visto que tem o objetivo de melhorar a qualidade de vida do paciente.

Casos de fenda palatina (lábio leporino)

A fenda palatina é um problema congênito caracterizado por dividir o lábio superior e o céu da boca em dois segmentos. Isso pode atrapalhar na hora de comer e até mesmo na autoestima da pessoa.

Entretanto, a cirurgia reparadora consegue resolver o problema, devolvendo a harmonia do rosto e estruturando o céu da boca. Além disso, este tipo de procedimento pode ser realizado pelo SUS, sobretudo se causa grande piora na qualidade de vida do paciente.

No entanto, um cirurgião plástico capacitado realiza o procedimento por problemas de saúde e por estética — como na técnica queiloplastia.

Como realizar uma cirurgia plástica reparadora?

Se você precisa fazer uma cirurgia plástica reparadora, procure um bom cirurgião plástico especialista reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Além disso, tanto o SUS quanto os convênios médicos cobrem alguns dos tipos de cirurgia plástica reparadora. Porém, é necessário passar por uma triagem e realizar exames específicos. Informe-se em sua cidade e com seu clínico geral ou diretamente com seu cirurgião plástico, que, além de “reparar” o problema que te incomoda ainda poderá deixar a área com um aspecto muito melhor do que antes.

Entendeu tudo sobre os casos de cirurgia plástica reparadora? Então deixe seu comentário para que possamos saber sua opinião! Não se esqueça também de compartilhar este post em suas redes sociais!