Hoje em dia o consumo de barras de cereal faz parte da alimentação de muitas pessoas, devido a praticidade e benefício que esse alimento traz, porém, é muito importante que todos saibam escolher as barrinhas a serem consumidas, principalmente se a pessoa estiver em um processo de reeducação alimentar, por exemplo. Separamos algumas dicas sobre os benefícios, malefícios e o que se deve considerar na hora de comprar essas barrinhas. Vem conferir!

1) Quais são os malefícios de comer muitas vezes barras de cereal?

Como as barrinhas de cereais são fontes de fibras, a constante ingestão (ou o excesso de ingestão de fibras) pode causar ressecamento das fezes, culminando em constipação intestinal. Isso não é saudável, uma vez que o ressecamento das fezes por longo período de tempo pode desencadear problemas intestinais e até mesmo câncer, principalmente se já houver caso na família de quem consome esses produtos.


2) Por que elas não podem substituir uma refeição?

Essas barrinhas tendem a possuir um baixo valor calórico e, além disso, não possuem alguns nutrientes em quantidades necessárias para o organismo que são consumidos numa refeição como o café da manhã, almoço e jantar, refeições estas chamadas de “grandes refeições”, pois nestes horários consumimos a maior quantidade de nutrientes, de forma variada e com valores calóricos também em quantidades superiores às outras refeições do dia.


3) Qual é o melhor horário para ingeri-las?

Podem ser consumidas em pequenas refeições, que compõem o lanche da manhã, o lanche da tarde, e a ceia (última refeição do dia, antes de dormir). Ou seja, seu consumo deve ser nos horários intermediários das grandes refeições e, também, em horários que antecedem a prática de atividade física (aulas na academia, por exemplo), porque são produtos energéticos e que contribuem com o funcionamento do intestino.


4) Quais são os problemas acarretados pelo excesso de sódio e açúcar que as barrinhas possuem?

O excesso de sódio pode gerar alterações da pressão arterial, principalmente se a pessoa já possui histórico na família de hipertensão arterial. Além disso, seu consumo deve ser reduzido em casos de retenção hídrica (algumas mulheres retém líquidos no período menstrual e o excesso de sódio contribuirá ainda mais). Lembrando que, quanto mais sódio for consumido, mais sede sentimos e mais água bebemos ou, até mesmo, exageramos no consumo de outras bebidas não saudáveis ao organismo como sucos em pó e industrializados e, principalmente, refrigerantes. Essas bebidas contêm muito açúcar em sua composição e podem acarretar em aumento do depósito de gordura corporal, gerando obesidade, esteatose hepática não alcoólica e diabetes mellitus..