Descubra o porque você deve se atentar aos alimentos industrializados e como fazer com que a mudança seja tranquila e saudável e fugindo das grandes doenças.

Práticos, rápidos para comer e não precisa de uma grande preparação. Mas, você já pensou em como eles agem com o seu corpo? Pois é, os aditivos químicos encontrados nos alimentos industrializados são os principais fatores pela obesidade, hipertensão, diabetes e até câncer.

Eles são atraentes ao paladar, mas um verdadeiro veneno ao nosso corpo, pois os industrializados possuem os corantes, aromatizantes, adoçantes, conservantes, antioxidantes e diversos outros “antes”, que o transformam deliciosos, porém, muito perigosos.

Além de todas essas doenças, a ciência britânica descobriu que os industrializados aumentam também os riscos da depressão, e por esses e muitos outros riscos, muitas pessoas estão trocando eles por uma dieta mais saudável, mas de acordo com nutricionistas, a mudança tem que ser gradativa e no inicio requer um esforço grande, já que ela pode parecer muito difícil – mas só parecer.

 

Mas, o que você ganha com a mudança?

Cortar os alimentos industrializados da sua rotina faz com que evite futuras doenças, melhore a qualidade da sua saúde, aumenta a disposição do corpo, diminui a intoxicação do organismo, treina o paladar experimentando novas preparações, e de quebra, da aquela ajuda no emagrecimento.

 

Quero mudar, e agora?

Para que a mudança aconteça, muita força de vontade e proatividade, mas como qualquer outra coisa que pode se tornar um hábito, deve-se começar devagar, eliminando ou diminuindo aos poucos, principalmente o consumo de sucos de caixinha e refrigerantes, principais produtos industrializados.

Se atente e muito com o seu cafe da manha. Troque o cereal matinal e biscoitos, por frutas e grãos in natura. E sabe aquela “barrinha” que você acha que vai te ajudar? Pois é, ela possui muito mais açúcar que uma lata de refrigerante e mais gordura do que o queijo, corante e aromatizante. Isso porque, geralmente as empresas que fabricam este produto, utilizando um xarope de milho rico em frutose, também conhecido como adoçante artificial, que faz muito mal a saude.

Já quando se sentir confortável com a mudança dos líquidos, chegou a hora do solidos. A primeira que você deve dar adeus, são as comidas prontas congeladas. “Tente organizar-se para, uma vez por semana, se dedicar um dia para comprar alimentos naturais e deixar pré-preparados na geladeira e congelador para o consumo ao longo da semana”, ensina a nutricionista Renata Alvarenga, em entrevista a Revista Glamour. Segundo ela, vale investir em verduras, legumes, grãos e carnes magras como um frango grelhado ou peixes.

E além de mudar os sólidos, reduzir o sal e imprescindível. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o consumo de menos de 2 g de sódio por dia. Isso equivale a 5 g de sal. Porém, o brasileiro médio consome mais que o dobro dessa quantidade. E os produtos industrializados são a maior fonte do sal.

Tudo isso pode ser trocado por temperos que dão sabor à comida, como manjericão, salsa, alecrim, entre outros.

E quando o assunto são os enlatados, embutidos e conservas, portanto sempre prefira consumir alimentos naturais. Os industrializados que possuem um prazo de validade muito longo, contém substâncias que intoxicam e inflamam o organismo, contribuindo para o desenvolvimento de doenças ao longo do tempo, como a hipertensão, obesidade, aumento das taxas de colesterol, diabetes, gastrites, câncer, entre outras.

“Mas e os pacotinhos?”, eles também não fogem da categoria de industrializados. Mas, nem todos, como o arroz e o feijão, quando estão no saquinho são alimentos que não passaram, ainda, por processos de cozimento, portanto, são considerados como alimentos naturais; já a salsicha, linguiça e outras carnes processadas contêm toneladas de sal, nitrato de sódio, corantes, conservantes e aromas artificiais. E pior: elas são expostas a condições extremas de calor e pressão, o que cria ligações resistentes a enzimas; uma situação que nosso organismo então não vai conseguir separá-los.

A mudança pode ser complicada, pode surgir diversas vontades e gatilhos para retornar as “saborosos” alimentos industrializados, mas com certeza, ela se tornará tão natural como os benefícios ao seu corpo e sua saúde!